tarapia-animal-11Há algum tempo os cães vem sendo utilizados, em todo o mundo, no auxílio à recuperação de pacientes, sobretudo de idosos e crianças.
O Hospital Universitário de Brasília (HUB), realizou um estudo utilizando cães no tratamento de pacientes com Alzheimer, Sob a orientação das veterinárias Damaris Rizzo, Esther Odenthale Renata Guina, o trabalho foi realizado por um ano, há cerca de  quatro anos trás e apresentou resultados animadores.
Dois cães especialmente treinados para esta função, o golden retriever Barney e o bernês Ventus frequentaram semanalmente o Centro de Referência para os Portadores da Doença de Alzheimer. Cada grupo de dez idosos recebeu a visita dos cães por oito semanas. Os pacientes interagiram muito bem com os animais, brincaram com bola e trocaram carinho.
Apesar de relativamente nova no Brasil, esse tipo de terapia já é motivo de muitos trabalhos científicos no mundo. A ONG americana “Delta Society” dedica-se exclusivamente à terapia animalassistida e mantém no seu site mais de cem estudos sobre este assunto. O mais importante e reconhecido deles foi publicado no American Journal of Cardiology em 1995 e comprova que o convívio com animais ajuda a controlar o stress, reduz a pressão arterial e os riscos de problemas cardiovasculares. Encontramos ainda interessante estudo de dezembro de 2003, relizado nos Estados Unidos com 15 portadores de Alzheimer que revelou surpreendente melhora na interação social e na agitação dos pacientes com a terapia animal assistida.

Acredita-se que a presença do animal mude o humor e exercite a memória.

Na pesquisa realizada em Brasília, as sessões foram iniciadas com um diálogo com as pesquisadoras, onde foram feitas perguntas aos idosos sobre o encontro anterior, já que é sabido que os pacientes com doença de Alzheimer perdem a memória para fatos recentes. De forma surpreendente os pacientes, na maioria das vezes não se recordavam da pesquisadora mas não se esqueceram dos cães e lembraram-se até mesmo dos seus nomes.

terapia-animal3O ato de jogar bola com os animais já representava atividade física importante para os idosos. Os cuidados com os animais como escovar o pelo também ajudou na fisioterapia e na coordenação motora.
O trabalho perdurou por um ano e os familiares de alguns pacientes revelaram que estes passaram a cuidar melhor da aparência, apresentavam temperamento mais alegre, fato importante pois a
tarapia-animal21tristeza é uma marca muito grande dessa doença.
Este tipo de terapia
ainda apresenta resistência no meio médico, principalmente pelo temor de que a presença de animais nos hospitais possa representar vetor de transmissão de doenças.
Os japoneses, sempre inovadores, criaram um cão robô que melhorou a interação e a comunicação dos idosos mas com um alto custo : uma versão do cão robô custa cerca de US$ 1.500. Além disso, não se sabe se os robôs são tão eficientes quanto os animais de verdade em casos que exigem outros tipos de interação com os pacientes.

Todos sabemos ser muito prazeirosa a convivência com os nossos grandes amigos de quatro patas. Todos que adoram e convivem com animais, há muito tempo já sabem que amor, carinho e atenção, principalmente vindos de um amigo fiel trazem muitos benefícios aos humanos que já não confiam tanto nos seus pares.

Anúncios