Coprofagia – Comportamento inadequado

coprofagia


Cães jovens em crescimento têm uma grande necessidade de energia e podem obter nutrientes úteis ingerindo as suas próprias fezes ou as de outros cães ou gatos durante esta fase. No entanto, depois de completo o desenvolvimento e com fontes alimentares mais atrativas, a coprofagia cess, na maior parte dos casos. Porém, alguns animais, principalmente de raças mais “gulosas” como os Beagles, os Shith Tzus e Labradores, podem continuar com este desagradável e repulsivo hábito. A coprofagia é muito rara nos gatos.

Apesar de repugnante para alguns de nós, este hábito não constitui risco para a saúde do cão que come apenas as suas próprias fezes.

Classificação por tipo de fezes

Esta classificação foi feita segundo relato em literatura

Cães que comem fezes de animais herbívoros. Comportamento comum de ser observado em carnívoros silvestres. Fezes, como por exemplo, de cavalos, são uma fonte de produtos de digestão microbiológica alem de fornecerem nutrientes aos cães.

Cães que comem fezes de gatos. Comportamento comum de causa indeterminada.

Cadelas recém paridas comem as fezes de seus filhotes. Ainda que seja um comportamento normal pode ser mal interpretado.

Cães que comem as próprias fezes.

Cães que comem fezes de cães adultos. A razão para esse comportamento não está bem determinada.

Cães que comem fezes humanas.

Cães mantidos em canis públicos ou abrigos particulares parecem exibir mais freqüentemente este comportamento.

Casos mistos.

Causas

Não há uma causa única para este hábito, mas muitas são as teorias e suposições e algumas medidas podem ser tomadas para tentar resolver o problema.

As cadelas recém paridas costumam ingerir as fezes dos filhotes. Dessa forma mantém o ninho limpo.

O stress ambiental pode contribuir com vários comportamentos incluindo a coprofagia. Percebe-se que cães estressados ou que vivem confinados em canis têm uma tendência muito maior a tornarem-se coprofágicos. Cães deixados em casa sem companhia por um longo período de tempo acabam por exibir este comportamento. Cães entediados manipulam fezes como passatempo e podem vir a comê-las e achá-las palatáveis.

O cão pode ser ingerir fezes para receber atenção do proprietário. O comportamento pode ter sido reforçado pela reação emocional do proprietário “Não faça isso !!!!!!!!!”, que significou ganho de atenção. Observa-se que animais que saem a passeio, recebem maior atenção do dono, são menos isolados e ganham brinquedos podem ter este comportamento diminuído, aliviado.

Punições excessivas relacionada a eliminações do cão. Cães podem comer fezes para evitar que os proprietários os punam por sujar o ambiente.

A distribuição errônea do espaço de dormir, alimentar, defecar e urinar. Cães que não dispõem de espaço suficiente e são forçados a defecar em seu espaço de dormir acabam por ingerir suas fezes para manter o espaço limpo.

Cães selvagens ao se alimentarem da caça iniciam sua alimentação pela ingestão de órgãos abdominais, incluindo ai o intestino e seu conteúdo. Daí as fezes não serem repugnantes para os cães.

Causas médicas

Avitaminoses, deficiência severa de tiamina.

Hiperadrenocorticismo (Síndrome de Cushing) – Situação em que o organismo sofre desequilíbrio hormonal e que pode ter várias causas.

Administração exógena de glicocorticóides – situação em que o animal está fazendo uso de medicação contendo antiinflamatório hormonal.

Hipertireoidismo – excesso de produção de hormônio pela glândula tireóide.

Alimentação

A coprofagia pode não estar associada a doença (parasitismo, por exemplo) ou a uma alimentação desequilibrada, mas é mais comum em cães famintos ou com dieta inadequada.


Como uma tentativa de minimizar o problema, sugere-se que se divida a quantidade diária de ração em três ou quatro refeições diárias para que o animal não fique demasiadamente faminto e sinta-se inclinado a comer as fezes.

Cães superalimentados não conseguem digerir todos os nutrientes ingeridos e eliminam carbohidratos nas fezes. Por serem nutritivas, essas fezes poderão ser ingeridas pelo próprio animal ou por outro que venha a estar com fome. Outros casos em que é possível identificar a coprofagia é em cães com pancreatite crônica ou síndrome de má absorção intestinal. Nestes casos, os animais sofrem de carência nutricional por não conseguirem absorver os nutrientes da alimentação ingerida e, se encontram nutrientes em fezes ou qualquer outro possível “alimento”, irão ingerí-los por necessidade do organismo.


Adestramento


Outra atitude que pode auxiliar na resolução deste problema é levar o cão regularmente a passear nos seus horários habituais de defecar (logo de manha; após as refeições) e esperar até que ele faça as suas necessidades. Diga uma palavra-chave e depois recompense com um biscoito o ato bem sucedido. Apanhe as fezes e coloque-as no lixo. Isto irá motivá-lo a só defecar na sua presença.

O castigo exacerbado só contribui para piorar este hábito. A punição deve ser ligeira e parecer mais relacionada com as fezes do que com o animal.


coprovetTratamentos propostos

Cães jovens podem comer fezes com o propósito de estabelecer uma flora bacteriana intestinal apropriada. Há algumas bactérias que fazem parte da flora bacteriana norma e são necessárias à saúde do animal.organact

Alguns probióticos podem auxiliar neste processo, bem como medicações que alteram o sabor das fezes, tornando desagradável a sua ingestão pelos cães.

Não há um consenso entre os profissionais quanto ao melhor tratamento para a coprofagia. Alguns podem funcionar para determinados animais e não para outros, po isso é tão controvertido o tratamento. O diagnóstico adequado é, portanto, muito importante e difícil e será necessária atitude positiva do dono do animal, seguindo orientações de adestramento para que seja obtido o sucesso.