É do conhecimento de todos que o excesso de peso é prejudicial para a saúde dos seres humanos, podendo contribuir para o desenvolvimento de doenças cardíacas ou diabetes, dentre outras. Não é diferente com o seu animal de estimação. Os cães obesos são mais susceptíveis de serem acometidos por alterações nas articulações, diabetes, alterações na pele, infecções, doenças do coração, alterações reprodutivas, etc

Complicações mais comuns atribuídas à obesidade:

As conseqüências imediatas, como diminuição da resistência física, contornos pouco graciosos, não são nada em comparação com as múltiplas complicações que se podem produzir no seu animal :

  • transtornos no aparelho locomotor ,
  • dificuldades cardio-pulmonares,
  • patologias nas funções reprodutivas,
  • predisposição a enfermidades infecciosas e transtornos cutâneos,
  • altos riscos cirúrgicos .

O peso do cão deve ser controlado pelo seu dono, limitando a quantidade de alimento oferecida a ele, dando apenas a quantidade necessária para mantê-lo saudável, com um corpo forte e peso normal. Não é aconselhável deixar alimento sempre à disposição, no prato, pois ele ficará comendo durante todo o dia. O exercício físico é benéfico e deve ser regular para que o animal tenha um bom condicionamento físico.

Como sei se o meu cão está com excesso de peso?

Examine a região da cintura do seu cão, que é parte mais fina, logo após a última costela. Apalpe e verifique se você pode sentir facilmente as costelas. Elas não devem estar aparentes, visíveis, mas você deve senti-las logo abaixo da pele e dos músculos, sem muito esforço. Caso você não as perceba com facilidade, o seu cão deve estar com uma camada de gordura maior que o normal.

O veterinário poderá orientá-lo sobre medidas para que o seu animal volte ao peso normal e, dessa forma evitar muitos problemas de saúde. Ele poderá prescrever dieta com diminuição da quantidade de ração fornecida e, até mesmo com a troca da ração por uma light.

Exercícios físicos também auxiliam na perda e na manutenção do peso ideal e devem ser adequados ao animal. Se o cão é muito filhote ou se está muito obeso, deve evitar saltos excessivos para não comprometer as articulações.

O plano de exercício, assim como nos humanos, deve ser gradual, respeitando-se as limitações de idade, raça e condicionamento físico de cada cão. Inicie o programa com caminhadas curtas e em ritmo lento e vá aumentando o percurso e o a velocidade aos poucos para não forçar o aparelho cardio-respiratório do seu pet.

Curiosidade

O FDA (Federal Drug Administration), nos Estados Unidos, que corresponde à nossa ANVISA, liberou para uso uma droga para controle da obesidade em animais domésticos. Chama-se Slentrol (dirlotapide) e atua reduzindo o apetite e eliminando a absorção de gordura do alimento ingerido.

Anúncios