O desenvolvimento da medicina veterinária e de rações animais de alta qualidade em muito contribuem para aumentar a expectativa de vida dos felinos. Devido aos cuidados dos donos responsáveis, os gatos domésticos vivem muito mais que os de rua que, muitas vezes morrem vitimas de brigas, atropelamento, envenenamento, viroses, etc…

A vacinação em dia evita também uma série de patologias que podem contribuir para a morte precoce do animal.

Segundo estudos recentes, os gatos criados em casa e de forma cuidadosa, chegam a alcançar de 12 a 15 anos de idade e os de rua vivem, em média, de 6 a 8 anos.

A predisposição genética também é um fator que influencia a longevidade. Alguns podem desenvolver doenças renais, cardíacas, diabetes, câncer, dentre outros.

Os donos devem estar atentos para os primeiros sinais de envelhecimento dos seus amiguinhos felinos. As consultas periódicas ao veterinário são muito importantes e são a única forma de detectar sinais e sintomas importantes.

Alterações que podem vir a ocorrer:

  • Necessidade calórica cai em 30% podendo levar à obesidade se não controlada a alimentação.
  • Diminui a resistência imunológica;
  • Perda de massa muscular, óssea e cartilaginosa;
  • Artrite;
  • problema dentário – acúmulo de tártaro;
  • Incontinência urinária nos machos aumenta;
  • testículos diminuem;
  • Fibrose mamária nas fêmeas;
  • Pulmão absorve menos oxigênio (fibrose);
  • Disfunção cognitiva (demência senil) – Não reconhece pessoas e lugares, urina em lugares inadequados;
  • Alterações no sistema nervoso (olfato, paladar, visão, e audição) alterados;
  • Problemas com o sono.

Leve o seu gatinho para exames de rotina, não deixe de vaciná-lo, alimente-o bem e não se esqueça de que o carinho e a atenção o fazem mais feliz. Vida longa e feliz aos felinos !

About these ads